Provérbios 1

1. Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel,

2. para conhecer a sabedoria e a instrução; para entender as palavras que dão entendimento;

3. para instruir em sábio procedimento, em retidão, justiça e equidade;

4. para dar prudência aos simples, e conhecimento e bom senso aos jovens.

5. Que os ouçam também o sábio, para que aumente seu conhecimento, e o que entende, para que adquira habilidade

6. para compreender provérbios e parábolas, as palavras dos sábios e seus enigmas.

7. O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento. Os insensatos, porém, desprezam a sabedoria e a instrução.

8. Meu filho, ouve a instrução de teu pai e não desprezes o ensino de tua mãe.

9. Pois serão como uma coroa de graça para tua cabeça, ou colares para teu pescoço.

10. Meu filho, se os pecadores quiserem te seduzir, não permitas.

11. Se disserem: Vem conosco; armemos uma emboscada para matar alguém; fiquemos de tocaia contra o indefeso para nos divertir;

12. vamos engoli-los vivos, como a sepultura, e inteiros, como os que descem à cova;

13. encontraremos todo tipo de bens preciosos e encheremos nossas casas com despojos.

14. Vem conosco; teremos tudo em comum.

15. Meu filho, não sigas o caminho deles; desvia-te de suas veredas,

16. pois os pés dos pecadores correm para o mal, e eles se apressam a derramar sangue.

17. De fato, não faz sentido estender a rede diante de uma ave que está à espreita.

18. No entanto, os pecadores se põem em emboscadas contra seu próprio sangue e espreitam a própria vida.

19. São assim as veredas de todo aquele que se entrega à cobiça; ela tira a vida dos que a possuem.

20. A sabedoria grita nas ruas e levanta sua voz nas praças.

21. Clama do alto dos muros e profere suas palavras à entrada das portas e na cidade:

22. Ó insensatos, até quando amareis a insensatez? Até quando os que zombam se alegrarão na zombaria? Até quando os tolos odiarão o conhecimento?

23. Se vos converterdes pela minha repreensão, derramarei sobre vós o meu espírito e vos revelarei as minhas palavras.

24. Mas, porque clamei, e recusastes, porque estendi a mão, e ninguém deu atenção;

25. mas, pelo contrário, desprezastes todo o meu conselho e fizestes pouco caso da minha repreensão;

26. eu também rirei no dia da vossa calamidade e zombarei, quando o terror vos sobrevier

27. como tempestade, e a vossa calamidade passar como redemoinho, quando a aflição e a angústia chegarem.

28. Então clamarão a mim, mas eu não responderei; ansiosamente me buscarão, mas não me encontrarão.

29. Porque menosprezaram o conhecimento e rejeitaram o temor do SENHOR,

30. não aceitaram o meu conselho e desprezaram toda a minha repreensão.

31. Portanto, comerão do fruto do seu caminho e se fartarão dos seus próprios conselhos.

32. Porque o desvio dos tolos os matará, e a prosperidade dos loucos os destruirá.

33. Mas quem me der ouvidos viverá seguro e estará tranquilo, sem medo do mal.